Fim dos transplantes? Cientistas criam coração rudimentar com impressão 3D

Pesquisadores da Universidade de Harvard desenvolveram uma nova técnica chamada SWIFT, usando a impressão 3D, que tem como base a utilização de uma tinta elástica, produzida pela própria impressora, que, ao ser removida de determinado substrato, deixa moldado canais que funcionam como vasos sanguíneos artificiais. Tal técnica promete permitir a criação de órgãos maiores e mais funcionais. A impressão de órgãos ainda está em fase de desenvolvimento, pois ao contrário da produção de pele e de ossos por meio da impressão 3D, esta exige muito mais complexidade. No entanto, ainda que a técnica SWIFT esteja em um estado inicial, cientistas garantem que ela pode ser usada para a criação de qualquer tipo de célula, inclusive, pode vir a ser base para o desenvolvimento de novas descobertas para a área da saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *